notabilissimo
E ela dança tão linda, tão serena, tão minha nesse palco de ilusões. Dança descontraidamente como se estivesse dançando em uma tarde de domingo, e não trabalhando. Dança como se não tivéssemos problemas e a cada giro, o vento faz o favor de trazer um pouco do seu perfume pra mim. Ah, ela dança perfeitamente e faz questão de deixar bem claro que ela tem o poder de fazer tudo. Tem o poder de sorrir pra mim com brilhos nos olhos e me fazer ter a esplêndida vontade de querer abraçar o mundo e gritar o quão misteriosa ela é. A cada noite que ouço a apresentação do locutor dizendo em alto e bom som: “Senhoras e senhores, tenho o prazer de apresentar-lhes o mágico e a bailarina”, minha vontade é de parar o espetáculo e retrucar: “Não cara, o prazer é todo meu. Eu tenho todo o prazer do mundo em fazer qualquer coisa ao lado dela.” E eu, feito bobo, sempre me perco no meu show de amostrações, tentando fazer com que tudo chegue aos pés dela. E eu me mostro mesmo, grito para todos saberem como a beleza dela faz minha vida ficar mais bonita, mais leve. Eu grito porque a amo. Ela com certeza me acha idiota, mas ao lado dela eu fico idiota quantas vezes forem precisas, se em alguma dessas vezes ela me enxergasse. Quando o circo chega em uma nova cidade, faço questão de pronunciar o dia e o horário do show, para que ela possa ver que eu faço de tudo para que todos vejam como baila bem. Vai que, em alguma dessas noites de magia, ela me nota.
A bailarina e o mágico, Desapiedar. (via resignei)